1 2 3

Moda Plus Size Modelos Negras - Sim, we can!


 E aí, pessoal! Tudo bem? Com saudades, mas voltei e o assunto do post é
moda plus size. Você sabe o que é isso?

Plus Size é um termo do inglês que significa tamanho grande, isto é, tamanho para gordinhas, cheinhas ou como quiserem falar. Em geral, os tamanhos plus size são a partir do número 44. No caso da pessoa que vos escreve, em alguns casos, visto 46. Logo, sou plus size sim. E você?

 No meu caso, minhas proporções afirmam e tam,bém assumo minha condição de mulher negra e gorda sim. Isso é um assunto sério, importante e que precisa ser muitas vezes retomado para discussão e reflexão, pois a imagem de ambos os perfis tendem à ser negado pela padronização que a sociedade nos impõem.

Por conta disso, muitas mulheres podem sentir-se com baixa auto estima e desvalorizadas por atenderem estes dois quesitos. Hey, sinta-se feliz e privilegiada de você ser quem você é e valorize-se com isso. Vamos à luta e sermos mais felizes com o que somos e temos.

Em minhas pesquisas encontrei diversas modelos negras, plus size e brasileiras, olha que legal. Apresento uma galeria de fotos destas para que possamos nos inspirar, nos fortalecermos e valorizarmos o que somos como pessoas. Se jogue!

                                  Modelo Lidiane Machado esbanjado beleza e liberdade.
                               Modelo Lidiane Machado esbanjado beleza e liberdade.


                        Dayane Toledo, linda com seu estereótipo forte e marcante.
            Silvia Neres, uma das maiores representantes da beleza negra plus size no Brasil e no exterior.

                                          Juliana Ferreira, linda integralmente!!!

Esta é a pessoa que vos fala, eu. Gordinha sim, negra e favelada. Por quê não? Sou o que sou e isso não me desqualifica!!!!

Pessoal, vamos lembrar que não existe beleza padrão e sim a beleza que cada uma de nós temos e possuímos, mas por sermos o que sermos do que temos.

Portanto, valorize-se! Seja você! Se veja, se recrie. Crie seus conceitos e seus padrões. Seja livre!

 Espero que tenham gostado. Beijos e até o próximo post.

Resenha Linha Élseve Óleo Extraordinário L'Oreal - Crespos Cachos

Para quem leu o post que trouxe aqui sobre a linha Élseve Óleo Extraordinário, como uma linha amiga do crespo e dos cachos, trouxe hoje o vídeo em que falo e apresento mais detalhes sobre a linha. Na época do vídeo estava apenas com shampoo, condicionador, máscara pequena e grande.

 Esta semana estive na Semana da Beleza Guanabara e consegui adquirir outro óleo que o meu tinha acabado e um creme para pentear.

 Confira o vídeo e dêem suas opiniões:

       

E vocês já experimentaram? Gostaram?

 Espero que tenham curtido o vídeo. Beijos e até o próximo post.

Maquiagem Neutra com Batom Vermelho


Olá pessoal! Tudo bem? O assunto de hoje é batom vermelho e para você que gosta ou admira, é hora de se jogar.

Historicamente sabemos que vivemos na sociedade brasileira uma cultura de mandar nos corpos alheios e, aquilo que não está de acordo com o gosto dominante é sumariamente "demonizado" e intitulado como feio, grotesco, ridículo, entre outros.

Assim como diversas questões, uma delas é o uso do batom vermelho em mulheres de pele negra e morena. Quem disse que não pode ou que é feio usar? Feio é o preconceito que nos assola por séculos e precisamos mudar isso já.


Na minha opinião o vermelho é uma das cores mais democráticas que tem, embora seja uma cor forte e vibrante, talvez isso assuste. A beleza desta cor ficará mais evidente dependendo dos tons, isto é, se mais aberto ou fechado e isso precisa vir acompanhado de acordo com nosso tom de pele.


Lupita é um dos ícones de beleza negra mundial e nos mostra que é perfeitamente possível uma mulher negra, com tom mais pigmentado, fazer uso do batom vermelho.

Para estas e outras que, para algumas leitoras que pedem, fiz uma maquiagem com olhos neutros e um batom bem vermelho, para mostrar que é possível. Confira só o vídeo?


          


Gostaram da dica? Então aproveite o sábado e se jogue no batom vermelho nega.

 Espero que tenham gostado. Beijos e até o próximo post.



Resultado da contemplada para convite VIP Beauty Fair 2014



Olá, pessoal! Tudo bem? Vamos saber quem foi a lindona que faturou o convite VIP para Beauty Fair 2014




A contemplada foi Tammy Cezaretti que faturou seu convite VIP para Beauty Fair. Envie um email para crilourah@gmail.com com seus dados para disponibilizar mais informações.

 Beijos e parabéns!

Concorra a uma Credencial para Beauty Fair 2014 em São Paulo. Saiba como


Olá pessoal, tudo bem? Mesmo na correria, tô passando aqui para contar uma boa novidade: se Deus quiser, estarei em Sampa na Beauty Fair 2014. Fui convidada pela Yenzah que, além de ter disponibilizado uam credencial para mim, disponibilizou também uma credencial para você leitora do Criloura.

A Beauty Fair é uma feira internacional de belezas voltada para profissionais, com diversos seguimentos como cabelos, maquiagens, estética e outros e é considerado um dos maiores da América e está entre o segundo maior do mundo.

Super feliz com esta oportunidade e mais ainda de poder proporcionar a vocês a possibilidade de ir e também nos conhecermos.



Quer o seu convite VIP? Participe, é simples:

1) Inscreva-se no canal CRILOURA no YouTube: http://www.youtube.com/fernnandahcriloura
2) CURTA a Fanpage do Criloura no Facebook - http://www.facebook.com/blogcriloura
3) SIGA o Blog Criloura
4) Deixe seu nome completo, cidade e email na caixa de comentários e boa sorte!

A sortuda será divulgada no dia 21/08/2014. Aproveitem e TODA SORTE!

Aproveitem e conheçam um pouco mais da Yenzah no Instagram




Dica de Salão: Tratamentos Antes de Depois da Quimica.


E aí, pessoal! Tudo bem? No post de hoje trago algumas informações para quem usa quimica e tem dúvidas do que fazer e usar para manter seus cabelos bonitos e principalmente saudáveis.

Antes de mais nada, é preciso salientar que o uso de químicas para transformações dos cabelos como relaxamentos, permanentes, alisamentos e outros necessitam de muitas ponderações. Em outras palavras,  o uso abuso oferece riscos que vão desde a saúde dos fios como também a saúde física e até psicológica da gente. Afinal, quem quer ficar alérgico ou provocar queimaduras e/ou quem quer ter seus cabelos quebrados e caindo? Ninguém, né?

 Então, não use quimica mensalmente como colorações, relaxamentos, permanentes e outros. Dê um intervalo, de pelo menos, três meses entre uma aplicação e outra. Enquanto isso uso e abuse sim de hidratações. Ssssimmmm, estas sim são determinantes na promoção de um cabelo bonito, saudável, que respeita a estrututa natural dos fios e que irá contribuir positivamente no resultado da quimica que você optar em usar.

No meu caso, muitas pessoas perguntam e respondo: relaxo meu cabelo atualmente em casa, com hidróxido de cálcio da linha Amaci Hair da Embelleze e procuro fazê-lo apenas na raíz crescida, a cada três/quatro/seis meses no mínimo. Enquanto isso faço hidratações constantes que variam de 2 a 3x por semana e isso mantém meu cabelo forte e saudável para alcançar o resultado em cor e textura que eu desejo. Uso principalmente as hidratações com funções reconstrutoras, à base de queratina e outras proteínas para fortalecer os cabelos; repositoras de massas, ricas em aminoácidos e permitem um fortalecimento da fibra capilar de dentro para fora/ nutritivas, ricas em óleos e ácidos graxos que oferecem mais maciez e tiram o ressecamento dos fios.

Neste vídeo, compartilho com vocês algumas dicas sobre tratamentos que faço antes e depois do relaxamento.

       

Pode parecer bobagem, mas estes cuidados impedem que os fios fiquem quebradiços e ressecados, evitando a porosidade.


E vocês, como cuidam dos fios pós quimica?

 Espero que tenham gostado. Beijos e até o próximo post.

Para QUÊ e para QUEM usar TURBANTES



A moda em si, traz significados e significantes históricos no bojo de sua formação. Todo movimento que inclui cultura, arte, dança e literatura e outros elementos, tem o seu lugar no mundo que remete às suas origens, a sua  formação enquanto povo/nação que, consequentemente,as suas releituras precisam fazer este link histórico, para não descaracterizá-lo e nem perdê-lo no decorrer de suas adaptações.  Assim é o uso do turbante, o lenço de tecido, de cores lisas ou estampadas, que com suas diversas formas de amarrações, carrega consigo a força da sua ancestralidade.

Para quem não sabe, o turbante é um dos símbolos da identidade negra africana e brasileira, mas que também remete a cultura oriental. O que diferencia uma das outras é a forma em que elas foram criadas/adaptadas pelo uso de cada povo.

Para nós brasileiras, herdeiras da cultura afro, o turbante significa o símbolo da nossa história (anterior a 1888), das nossas crenças e principalmente da valorização da nossa beleza e cultura, tão negada e muitas vezes invisibilizadas para não atribuir veracidade ao que a história e a atual conjuntura mostram sobre elas.

Onde o turbante surgiu? Perguntamos, mas há fontes nos levam desde a criação do Islamismo à cultura indiana, onde ambas tem um forte significado religioso e de maturidade/elevação espiritual e também de identificação de classe social. No contexto africano também não é diferente: ele está diretamente ligado ao sentido religioso sim, mas também ao significado social que remete a valorização da nossa história, com o reconhecimento das nossas lutas e o que significa carregar ainda hoje no sangue e na pele as amarras deste processo socio-histórico e que até hoje ainda lutamos pelo reconhecimento social, enquanto um direito à preservação da nossa cultura, dos nossos valores, sem sermos ridicularizados e sim respeitados por nossa inserção.

No Brasil o turbante chegou influenciado pela cultura africana sim e muito usado pelas baianas, como parte integrante do seu traje que, traz o significado claro do respeito, do resgate e da valorização da nossa ancestralidade, registradas através de diversas fontes.

Portanto, o turbante é mais do que a beleza  nua e crua propõem, mas principalmente o reconhecimento do significado cultural e histórico do negro no Brasil, do seu processo histórico, e principalmente da história de lutas e da construção de ser visto e respeitado em sua integralidade.

A questão não é quem usa ou deixa de usá-lo, mas a questão é usá-lo de forma consciente lembrando que o seu uso pode significar a valorização desta cultura e reconhecer seu significado ou negar esta cultura e apropriar-se dela ilegitimamente.