1 2 3

Resenha Blur Mágico L'Oreal - Pele Negra e Oleosa


Olá, pessoal! Tudo bem? Atendendo ao inúmero pedidos de vocês, leitoras, trouxe a resenha do primer Blur Mágico da L'Oreal. A proposta deste produto é uma pele mais lisa, uniforme, com disfarce dos poros, redução de linhas de expressão e outros. Adquiri-o e gostei muito.

Há uns dois meses, a L'Oreal entrou em contato comigo e ficou de me encaminhar (fato que, por incrível que pareça, chegou hoje, no dia da publicação da resenha kkk), mas como vocês estavam pedindo minha opinião, resolvi adquirí-lo. Comprei-o na Drogaria Venancio e paguei R$ 39,90.

Uma das coisas que me motivou na compra do produto, foi a modelo, atriz Taís Araujo que, por sua beleza e empoderamento, apresentou uma pele belíssima e, como referência,a gente deseja seguir.

Assim já o experimentei umas sete vocês e tenho gostado dele. A única sugestão à marca é se ele viesse com ativos para controle de oleosidade, no mais ele é muito bom.

 Quer saber um pouco mais da aplicação, minha experiência e mais opiniões, confira o vídeo que fiz.


           


E aí? Alguém já conhecia o produto? Experimentaram? O que acharam?

 Beijos e até o próximo post.

TAG: Blogueiras Negras - Reflexões e Criticas do Panorama atual no Brasil


Olá, pessoal! Tudo bem? No post de hoje o assunto é sobre a resposta da TAG Blogueiras Negras, criada por Regiane Alves. Fui tagueada por algumas colegas, mas só chegou o convite da Bárbara Montiel, do blog/canal Wappa Modas. Achei importante responder e claro, trazer críticas ao atual modelo de visibilidade que temos e claro, trazer algumas reflexões do que podemos melhorar para que sejamos respeitadas e visibilizadas tal como as blogueiras não negras.

Sabemos que o evento das mídias digitais ainda é recente no Brasil, mas bem antigo nos Estados Unidos, Euriopa e Ásia. Ainda que tardio, nossa chegada nestes espaços também é tardia e, paulatinamente, estamos construindo nosso espaço de valorização do negro, seja a partir do nicho da beleza e outros nichos não conhecidos. Assim, na TAG ví a oportunidade de responder as perguntas e trazer alguns apontamentos, de acordo com minha vivência e experiência.

       

Em suma, acredito que as palavras que tentam definir minhas respostas está na IGUALDADE DE OPORTUNIDADES sobre a visibilidade, valorização e reconhecimento da blogueira negra brasileira. Ainda estamos caminhando, mas comparada às blogueiras negras de outras nacionalidades, ainda estamos anos luz de distância no que tange ao acesso aos bens e serviços.

 Espero que tenham gostado. Beijos e até o próximo post.

25 de Julho - Dia da Mulher Negra Afro, Latino, Americana e Caribenha. O que você tem a ver com isso?


Olá, pessoal! Tudo bem? O papo hoje é sobre memória e celebração do dia de hoje, dia 25 de Julho, Dia Internacional da Mulher Negra Afro, Latino, Americana e Caribenha. O que nós temos a ver com isso? Algumas coisas, entre elas:

1) Afro, porque viemos de descendência dos africanos #fato ;
2) Americana, porque vivemos na América do Sul;
3) Latina, porque fazemos parte do continente da América Latina.

Logo, temos muitas questões sociais, históricas, econômicas e identitárias em comum, entre elas, nossas história de lutas e reconhecimento por direitos iguais na sociedade brasileira e em outras também.

A diferença é que em cada país, em cada continente, de acordo com o viés socioeconômico, histórico, político e cultural, nossa lutas tem conotações diferentes, mas a essência é sempre a mesma: reconhecimento por direitos iguais, os quais são negados ou negligenciados pela política vigente ou pela sociedade, em virtude da discriminação, preconceito e racismo.

Esta data é importante, pois em 1992, no I Encontro de Mulheres Afro-Latino-Americanas e Afro-Caribenhas, na República Dominicana, elegeu esta data como um referencial na luta e resistência da mulher negra às opressões sociais e exclusões que refletem estatisticamente: no menor acesso à educação, saúde, trabalho, lazer, cultura e outros. As melhorias nas condições de vida que empurram muitas de nós às condições precárias de moradia, meio ambiente e informalidade nas relações pessoais e de trabalho. Nas questões claras de violência e o índice de mortes que poderiam ser reduzidos à nós mulheres e nossas crianças (filhos, sobrinhos, primos, netos e outros).

Lembrando que tentam nos induzir à acreditar que choramos mazelas e somos vitimistas, só que não! Os resquícios das desigualdades sociais iniciam na escravidão nestes países e continentes e se desdobram na exclusão social, que se expressam no preconceito, discriminação e racismo que, querendo enxergar, todo olho vê.

Portanto nós que temos este olhar e esta consciência, precisamos pensar neste dia como mais uma data representativa de pensarmos em estratégias de eliminar estas barreiras e avançarmos em pontos aonde ainda pouco ou nada saímos do lugar.

No mercado da beleza, que é o que a gente se encontra, há ainda lacunas no desenvolvimento de produtos específicos para cabelos crespos e cacheados, no que tange à perfeição, por exemplo, para cabelos crespos naturais do tipo 4c. Tudo bem que eu relaxo, mas leio relatos de colegas que precisam sempre fazer uso de gel e ir à luta em busca de cremes que não deixem os tais pozinhos brancos.

No nicho de maquiagens, ha, sem comentários... Ainda estamos engatinhando no desenvolvimento de produtos, de nível internacional, para maquiagem em pele negra e morena. Me refiro a pele negra mais pigmentada. Hoje grandes marcas como Avon, Natura, Vult, Dailus, Tracta e outras tem feito seus esforços, mas ainda não conseguiram desenvolver um produto perfeito para pele negra mais pigmentada. Precisamos apelar às marcas internacionais como MAC, Mary Kay, MakeUp Forever e outras para encontar o tom certo e a textura adequada em bases, pós e corretivos.

Acredito que devagar chegaremos lá. Fazer valer nossos direitos como pessoas humanas, cidadãs e consumidoras é o começo de muitas coisas.

 Beijos e até o próximo post.

A Ditadura dos Cachos Perfeitos - Tô de Cacho - Salon Line


Olá, pessoal!" Tudo bem? No post de hoje é um bate papo, proposto pelo blog Tô de Cacho da Salon Line, num super desafio de compartilhar opiniões, vivências, experiências, reflexão, crítica e quem sabe retomada de consciência, sobre algo muito comum no meio das crespas e cacheadas que é A DITADURA DOS CACHOS PERFEITOS.

Sim, desde que optamos sair de um estado para o outro e este outro, seja em modalidade natural ou com quimica, com adesão à ondulação dos fios, temos a preocupação em mantermos nossos fios lindos, maravilhosos, impecáveis e claro super modelados e definidos. Mas por quê temos tanta necessidade de apresentá-los perfeitos e temos vergonha de mostrá-los como ele é?

Pode parecer contraditório, no ponto de vista de algumas pessoas ou grupos, eu me colocar neste lugar e falar sobre cachos perfeitos, uma vez que esta expressão está ligada diretamante ao seguimento de pessoas que adereriam aos cabelos naturais. #SQN

Como tudo na vida é relativo, a idéia de cachos perfeitos, cabelos perfeitos, pessoas perfeitas é também relativa. Socialmente, até então, o aceitável, principalmente para mulheres de cabelos crespos e cacheados, é o uso do cabelo liso, escorrido, quimicamente tratado ou muito escovado e pranchado, como forma de apresentação de aceitação daquilo que a sociedade consagrou com certa e verdadeira.

Com a luta dos movimentos sociais, principalmente do movimento negro e também do movimento feminista, esta "ditadura" começa ser questionada sobre vários pontos, entre eles: a dominação do corpo/cabelo do outro (este outro sendo o branco quem dita às regras) e também a defesa de uma negritude genuína e identitária fazendo uso dos cabelos crespos/ cacheados naturais.

Claro, com todo respeito à construção social, histórica e identitária destes grupos, sabemos que tais pontos de vistas não são absolutos. Como gostamos muito de comparar e copiar nossa cultura à norte americana, é comum nos "stats" mulheres negras, independente da pigmentação do tom da sua pele, usando cabelos de variadas cores e texturas. Cabelos que vão do natural ao liso, louro e escorrido e nenhuma delas tiveram seu lugar histórico de mulher negra e nem sua historicidade negada apenas pela escolha que fez em lidar com seus cabelos. Do contrário, como poderíamos pensar nas mulheres negras que optam em ficar carecas como expressão da sua beleza e identidade?

Assim, num super desafio de reflexão e construção de novos paradigmas, topei o desafio e fiz um vídeo falando um pouco do que penso à respeito deste assunto. Quer saber um pouco mais? Confira o vídeo que fiz.

         

Lembrando que, idependente do que você faça em seu cabelo, se natural ou quimicamente tratado, auto estima é aceitá-lo como ele te faz bem. A ditadura dos cuidados intensivos, do uso abusivo de quimicas, de técnicas de texturizações entre outros é que nos aprisionam e nos levam à aderir esta imposição de que o cabelo precisa estar perfeito.

Vamos cuidar sim, mas aceitá-lo da forma como ele estiver. Nada de entrar em pânico, deixar de estar com quem se gosta ou mesmo fazer o que deseja, para perder horas e horas de texturização para modelá-los.

Aceitação, bem estar e auto estima é fazer o que se gosta. Sem regras, sem imposições, sem obrigações.

Espero que tenham gostado. Beijos e até o próximo post.

Papo Gestante: 2º Trimestre, agradecimentos, saúde, cuidados, cabelos, menino ou menina?



Olá, pessoal! Tudo bem? No post de hoje o assunto é sobre minha gestação, atendendo ao pedido de vocês sobre o assunto. Gravei um vídeo falando, resumidamente, de como tem sido esta experiência divina e gratificante, as dificuldades, desafios e claro das alegrias e perspectivas também.

Aproveito para falar um pouco de como tenho cuidado dos meus cabelos e a decisão que tive em relaxar e tonalizá-lo. Quer saber um pouco mais? Confira o vídeo:

         

E aí, pessoal? Gostaram? Caso desejem saber mais informações, coloque suas dúvidas e perguntas nos comentários aqui no blog, me encaminhe um email ou envie uma mensagem pelo Whatsapp.

 Beijos e até o próximo post;

Bate Papo: TAG O Grande Dia, Casamento, Vida a dois, dia a dia


Olá, pessoal! Tudo bem? No post de hoje respondi a TAG O Grande Dia, que ví que querida Fernanda Chaves do blog Cantinho da Nanda respondendo, achei interessante e importante e decidi responder e dar um plus à mais, falando um pouco da minha experiência como mulher casada entre outros.

A TAG é composta por cinco perguntinhas, mas fiz alguns insights sobre vida a dois, casamento, o mito do conto de fadas, o mito do príncipe encantando e trazendo para vocês uma abordagem mais real e cotidiana de uma experiência de casamento como o meu.

Se vocês me perguntarem: Você vive um casamento de contos de fadas? NNNÃAAOOO. Isso não existe! Casamento não é encaixamento. Você precisa se ajustar, bem como seu companheiro (a) para que as coisas "casem", se acertem, para que dê certo.

 Ficou curiosa com minhas respostas? Confira o vídeo que fiz:

        


Espero que vocês gostem. Beijos!

Batons Queen - Os baratinhos famosos e de muita qualidade

Olá, pessoal! Tudo bem? O papo hoje é sobre batom, nosso item de maquiagem preferido que, a gente ama mais ainda quando é bbb, né? bom, bonito e barato.

 Vocês já ouviram falar nos batons da marca Queen? Possivelmente, algumas podem não conhecer, principalmente se você não entra nas famosas lojas de "baratinhos" de Madureira ou mesmo não frequentam os camelôs que vendem maquiagem.

 Esta marca é antiguinha e vende alguns itens de maquiagens, mas explodiu com os batons matte. A empresa é brasileira e paulista, fabricado pela Galati Cosméticos Comércio e Industrial, tem registro e responsável técnico. Isso é muito bom, porque temos mais confiabilidade na marca e temos referência, caso precisamos de mais informações sobre este ou outros produtos. Enfim,...

 Chega de conversa e vamos ao que interessa:


Por trabalhar no Centro, vejo algums camelôs vendendo, chegando ao preço de R$ 10,00 cada e achei meio absurdo. Então, perto de casa, adquiri cada por R$ 7,00.

As cores escolhidas foram os números 5,6 e 7, conforme mostra a sequência.


Realmente eles são muito bons. A primeira vez que os ví, como testei no provador, achei meio estranho, mas esqueci que provador todo mundo toca, muita gente mete o dedo e acaba perdendo qualidade. 

Nos grupos de maquiagem, principalmente lá no Maquiagens para Negras e Morenas, no Facebook, algumas meninas experimentaram, falaram super bem e decidi comprar. As cores que mais gostei foram estas três mesmo: a 5 é um roxo bem parecido com o Heroine da MAC, o 6 é um vinho puxado para o roxo bem bonito e sequinho nos lábios, supre elegante e o 7 é um vermelho puxado para o marrom, meio marsala que ficou show também.


As cores são fortes, bem pigmentadas, não mancham e duram bastante nos lábios. A remoção também é fácil e não fica esfarelando.


Nesta foto, apesar das edições nas imagens, consegui reproduzir 90% da cor e da pigmentação do batom. Ele fica um roxob em bonito e bem aberto nos lábios. Não neon, mas com cor e vibração.






Este é o número 7 que, na foto, ficou meio rosado.

E é isso. Gostei muito do resultado em matéria de cor, pigmentação, cobertura, durabilidade e fragância. Os preços, apesar de algumas oscilações, ainda são justos dentro do mercado cosmético brasileiro. Com um pouco de pechincha, dá pra ficar mais bonita pagando pouco.

 E vocês? Gostam? Conhecem? Já experimentaram os batons Queen? O que acharam?

 Beijos e até o próximo post.