Reagindo à GRES Paraíso do Tuiuti 2018


Boa tarde, pessoal! Tudo bem? Não poderia deixar de manifestar à respeito do 1º lugar no Brasil e 2º lugar no mundo, mais comentado, segundo o Twitter, que diz respeito ao desfile da Escola de Samba Paraíso do Tuiuti. Já ouviu falar? Muitos não, mas seu desfile está na história e certamente marcará positivamente a imagem da escola.

Poucos sabem, mas embora cristã/evangélica não curto carnaval, mas isso não me faz adotar uma posição política alienada à respeito das questões sociais do Brasil e do mundo, afinal ser humana e assistente social, me possibilita esta cosmovisão constante.

A sinopse do enredo da Paraíso do Tuiuti é sobre os 130 anos da Lei Áurea, que põem em prova se esta realmente foi abolida ou revestida de uma outra roupagem. Com o samba "Meu Deus, meu Deus, está extinta a escravidão?" Jack Vasconcellos, carnavalesco da escola, traz uma série de episódios históricos e sociais de todo o processo nefesto que a escravidão de pessoas causaram no mundo e especialmente seus reflexos no Brasil.

O chamado "lugar de fala" tem porta voz concreto, porque a escola fica no morro do bairro de São Cristóvão, zona central do Rio de Janeiro e durante o período colonial foi espaço de reservatório de água para Quinta da Boa Vista e, posteriormente, refúgio para "libertos", ex escravos que, acentuou enquanto área urbanística à partir da reforma de Pereira Passos, no início do século XX.

Obviamente meu post não agradará os ditos "de direita", pois quem estudou História e a reconhece como disciplina fundamental na base da formação humana e do (re)conhecimento histórico e cultural, saberá que a escola só disse verdades à respeito do que foi a Lei Áurea e do que são às terríveis desigualdades que pobres (pretos, pardos e brancos) de periferia precisam sujeitar-se.

Não assisti na tv, mas os comentários positivos foram tantos que assisti pela internet e sinceramente chorei. Me emocionei o suficiente para transcrever o que ví neste post. Ví a história do Brasil passar na avenida em verso, prosa, movimento, cor e samba trazendo um desabafo à respeito das condições socioeconomicas em que vivem esta parcela da sociedade.

No desfile teve de tudo: uma linha do tempo falando da escravidão, libertação e redenção na Comissão de Frente. As alas contando a micro história do processo de resistência à escravidão como Gerreiros do Quilombo e outras (inclusive devemos comemorar, pois o judiciário reconheceu no direito à população quilombola à terras que não foram lhes entregue aos antepassados). Passa pelo conceito de escravidão passando por África, Grécia, Roma e nos conceitos mais "modernos" de escravidão falando desta no campo e também na indústria da moda (afinal, poucos falam sobre isso porque Nike, Zara e outras marcas se alimentam de trabalho escravo para ostentar seu nome na praça e outros). Além disso, a crítica pós moderna aos "manipulados do sistema", isto é, os paneleiros de direita, que foram às ruas reinvindicar a presença de um governo de direita honesto, reformador da economia e outros que acabou sugando o sangue de todos, trabalhadores se empresários (governo Michel Temer), estas são as marionetes apresentadas no desfile.

Para finalizar, o carro com o resumo do desfile trazendo a base da escravidão/pobres, da classe média que ainda consegue se manter em seu lugar e das elites, tendo seu representanten maior o vampirão, presidente Michel Temer.

Há tempos não ouvia histórias de um desfile com o peso das escolas de samba que, na década de 80 e 90 apresentavam: críticas sociopolíticas, associada a um enredo que trouxesse alegria e que fosse expressão popular. Aquele grito preso na garganta. A GRES Paraíso de Tuiuti conseguiu isso.

Além dela, outra que retornou às origens trazendo sua crítica ácida foi a FRES Estação Primeira de Mangueira que, no final, fez uma crítica ferrenha a ausência de investimentos às escolas de sambas, então subsidiados pela Prefeitura do RJ.

Deixo aqui o vídeo do desfile e também o vídeo do querido AD Junior, apresentando seu ponto de vista sensível e inteligente à respeito do desfile.

        
                                             
                                            Assista ao desfile integral aqui.

                    

E aí? O que vocês acharam?

 Beijos e até o próximo post.

Pin It

4 comentários:

  1. Nossa que coisa linda, não tinha vista. Também sou Cristã evangélica mas me senti tocada com esse desfile. Mostrou a realidade pras pessoas que insistem dizer que nós negros não sofremos as consequências da escravidão até hoje.

    ResponderExcluir
  2. por favor Fêentre em contato comigo zap 21 987534826

    ResponderExcluir
  3. Dê vc tem salão me socorre São 21 98753-4826

    ResponderExcluir