1 2 3

Racimo e Homofobia ainda matam muitos no Brasil.


Olá pessoal!  Tudo bem? O post não é sobre beleza, pois falar dela chega ser ofensivo, diante de tantos caos que vivemos em nosso país. Falar de beleza é como uma "anestesia" para nos distanciarmos um pouco da realidade, mas esta pode bater em nossa porta à qualquer momento. Precisamos ter dimensão da realidade e estamos preparados para nos defendermos (ou atacarmos) ela em busca dos nossos direitos como cidadãos e pessoa humana.

A foto, por si só já revela: mais um jovem, negro, morre por motivo de violência. Isso acontece no mundo inteiro, mas no Brasil, as estatísticas apontam que os jovens negros e de periferia morrem mais do que os jovens negros na África ou outro país em desenvolvimento. Por quê será?

Um dos motivos é o claro e evidente, mas que a sociedade assim como as autoridades negam em assumir, que é a questão do RACISMO (onde um grupo considerado como "raça, se considera maior e melhor que outros grupos). O racismo não acontece apenas entre negros, mas também em pessoas de outras etnias ou de culturas diferentes como a nossa, como judeus e ciganos, por exemplo.

No caso do adolescente Peterson Ricardo Teixeira de Oliveira, 14 anos, estudante, morador de Ferraz de Vasconcellos em São Paulo e filho de um casal homossexual, passa mal subitamente na escola e, segundo testemunhas, ele teria se envolvido (ou foi envolvido) em uma briga com outros cinco alunos, à qual formaram o "corredor da morte" para sentenciá-lo para ela.

A polícia ainda investiga, mas o que fica latente aos nossos olhos que, se houve estes antecedentes, o que teria motivado tal briga? O pano de fundo pode ter sido a possível discriminação e intolerância pelo fato de ser filho de um casal homossexual, mas nada teria sido motivo suficiente para uma violência deste porte e ainda levar este adolescente à morte.

Trago isso, pois foi notícia neste mês de março nos noticiários e também para chamar nossa atenção da forma como temos visto e lidado com as práticas de violência. Neste caso, para quem tem filhos, irmãos, sobrinhos ou netos, orientar sobre respeito às diferenças é fundamental e apoiar às escolas principalmente. A escola é o espaço para o desenvolvimento, formação e educação da criança e do adolescente, mas não é um fim em si mesmo. A educação, orientação e cuidados começam e continuam na família. A sociedade e a escola faz a complementação. Digo isto porque presencio, em minha prática profissional, pois e responsáveis um pouco inertes sobre o que fazer com o comportamento inadequado destes. Nestes e em outros casos, a busca pela orientação psicológica e social, ainda são fundamentais.

 Desta forma, peço que cada um de nós, contribuamos de forma positiva em prol do desenvolvimento de crianças e adolescentes, estimulando uma cultura de paz, através da educação e formação dos mesmos.

 E voces como lidam com a violência em seu dia-a-dia?

Beijos e até o próximo post.

0 Crilouras Comentaram:

Postar um comentário