1 2 3

#Indignada: Cabelo crespo agora é cabelo de bruxa???


Pois é, pessoal! Quem assistiu o último programa do Domingão do Faustão, apresentado pelo apresentador Fausto Silva pela emissora Rede Globo com certeza assistiu o quadro com a cantora Anitta e o momento que sem querer o apresentador compara o cabelo da dançarina Arielle Macedo como de uma vassoura de bruxa.

Digo sem querer porque é sem querer e sem sentir que o preconceito e a discriminação contra os diferentes batem em nossa porta. É assim com os negros e negras, com nordestinos e nortistas, com gordos, feios e por aí vai.

O que mais me causa indignação é que naõ é a primeira vez que este episódio, envolvendo o apresentador acontece. A primeira vez a brincadeira sem querer aconteceu com sua dançarina Ivy Pizzoti, que tem os cabelos em textura de black power e o mesmo a comparou a um capacete.

Gente, até aonde temos que suportar isso????

Muitos vão dizer a pérola de que nós negros nos incomodamos com tudo, que tudo achamos que é racismo, preconceito e tal, mas por favor pessoas, QUE NOME SE DÁ ISSO??? Se não for um sintoma da discriminação, do preconceito e porque não dizer do racismo, é no mínimo um sintoma de total falta de respeito, bom senso e ética, né? Só que, do ponto de vista social e jurídico, quando estes sintomas são dirigido à minorias sociais tem o apelido de preconceito/discriminação racial e racismo sim. Afinal, não foi o cabelo liso da Anitta que foi comparado a uma vassoura de bruxa, mas os cabelos crespos e vermelhos de Arielle Macedo.

Esta indignação não é apenas minha, mas de uma parte do coletivo de homens e mulheres negras que também se ofenderam com esta injúria. Aliás, a própria dançaria também se ofendeu, mas preferiu adotar como resposta politica a isso o ignorar dos fatos, vivendo sua vida, adotando a mesma postura, porque afinal o corpo e o cabelo são seus e ninguém tem nada a ver com isso. Ela está certa!!!



Mas fico pensando comigo que todo mundo tem seus corpos e seus cabelos, que ninguém tem nada a ver com isso, mas que em espaços mais isolados, por causa do corpo (magro ou gordo demais), por causa do seu cabelo (crespo ou enrolado demais) ou do seu comportamento (hetero ou homoafetivo), muitas pessoas são excluídas pelo preconceito e discriminação de alguém ou de um grupo que não as aceitam, simplesmente porque fizeram escolhas não convencionais para suas vidas.

O que é isso Brasil??? Vivemos ou não em uma democracia?

Hoje em resposta ao comportamento inadequado do apresentador tipo como preconceituoso e racista, ativistas do movimento negro tem se revoltado contra este episódio e exigindo retratação sobre o caso.

Para quem não sabe ou finge não saber, o cabelo é um símbolo de identidade para qualquer mulher e para mulheres negras não é diferente.  O uso do cabelo natural é um dos símbolos de resistência à imposição da sociedade capitalista, elitista e machista que se acham no direito de impor sobre nossos corpos e nossas vidas aquilo que eles consideram como certo e aceitáveis. Segundo Maria Rita Casagrande, ativista do espaço Blogueiras Negras " O cabelo da mulher negra é parte fundamental de sua identidade, do reconhecer-se negra. Não nos ensinam a amar quem nós somos nas escolas, isto vem de uma construção, vem no meio de muita luta e não podemos aceitar que nossa identidade seja ridicularizada ou diminuída em nome do entretenimento. ”

Outros movimentos sociais como o Cacheando em Salvador e a Rede Afro LGBT tem tomado uma postura de repúdio a este tipo de postura discriminatória e racista contra a ridicularização dos cabelos crespos em sua naturalidade.

Uma das formas de repúdio que está sendo cogitada na rede é a reclamação junto ao CAT - Central de Atendimento ao Telespectador da Rede Globo e um boicote nacional ao programa deste indivíduo.

 E vocês o que acham do episódio?

 Beijos e até o próximo post.

4 Crilouras Comentaram:

Bruna Percílio disse...

Eu também fiquei indignada NOVAMENTE com mais esse ocorrido. Não só pela piadinha de mal gosto feita pelo apresentador mais também por ver que não é a primeira vez que esse tipo de piadinha ocorre na emissora, pelo mesmo programa, pelo mesmo apresentador e com o mesmo alvo MULHER, NEGRA E COM CABELO AFRO. Fico só imaginando quantas pessoas de suas casas não riram da piadinha, acharam engraçado nem se dando conta da tamanha falta de bom senso e educação. Ai eu fico aqui na minha casa pensando.. Até quando? Essa já é a SEGUNDA vez, será que vamos ter que esperar a terceira, quarta, quinta... ?
Por causa desse tipo de gente que ainda sofremos muito com o racismo, com o preconceito, com o mal-olhado, com as chacotas... e todo mundo agindo como se fosse normal mais NÃO É, não é normal muito menos engraçado!!! Temos que fazer algo urgentemente pq não dá mais pra conviver com isso.

Sonata disse...

O Faustão tem se mostrado deveras racista e com piadas imbecis,antes dessa menina havia uma outra que também era negra e ele vivia fazendo gracinhas com ela. Acredito que ele esteja de verdade buscando uma grande confusão.Eu costumo dizer para a Fê,não me meto em discussões sobre racismo,pois acredito que cada um tem que fazer o seu e que se estamos na linha a sociedade tem mais que nos respeitar.Mas esses episódios da emissora têm sido recorrentes e envolvendo o Faustão são inúmeros casos,fico pensando se , ele não tem uma assessoria que possa pelo menos lançar uma nota de esclarecimento? Ou será que ele vai se desculpar ao vivo?
Absurdo.

Lucille disse...

Essa rede tem uma cultura racista, isso não é novidade. Mas vamos analisar os fatos: a escravidão teoricamente acabou há mais de 100 anos (126 se não me engano), dificilmente teremos um idoso com idade superior a essa que propague o racismo que vivia naquela época antes da Lei Áurea. Então pensemos: se ainda existe racismo e o mesmo é cometido por crianças, jovens e adultos (no caso do Faustão ele tem algo próximo de 60 anos), significa que não é ranço do passado, o racismo ainda é divulgado, cultuado, e, pra matar agora: ENSINADO. Preto não presta: cabelo, cheiro (teve uma BBB que disse que se não usasse desodorante ficava com cheiro de neguinha). Isso é praticado e ensinado. Não nas escolas, não nas ruas: é em casa.
Voltando ao Fausto, ainda que trabalhe numa empresa desse nível, se o respeito tivesse sido aprendido em casa, duvido que a cultura organizacional o fizesse ser sujo assim. Ou faria? :-(
Bem, mas o que me dói mais não é a rede, nem o Faustão. É a ofendida botar panos quentes e, no meu humilde entendimento, informar ao resto do mundo que é pra não ligar pra esse tipo de coisa. "A vida é minha, o cabelo é meu". Alguém avisa pra ela que a vida, sim, mas a causa não. Não sei... Eu sou o tipo de pessoa que levaria uma Justa Causa num caso desse, porque eu jamais deixaria barato. Com um sorriso, eu diria: "é Faustão, seria pior se eu fosse brocha, né?"
Pra "ofendida" foi mais um apelidinho engraçadinho.
Então deixemos pra lá, foi o que entendi da postagem dela. Cada um tem seus motivos, peitá-lo poderia significar perda do emprego, talvez ela tenha filhos, mãe doente, não sei.

Mas agora ela tem de me permitir concordar com uma famosa pensadora contemporânea: "Se nada der certo, viro bailarina do Faustão."

Meu beijo

Jian Zhuo disse...

sac louis vuitton pas cher
sac longchamp
vans outlet
coach outlet store
discount oakley sunglasses
yeezy boost
louis vuitton handbags
cheap oakley sunglasses
true religion sale
coach outlet store online
170511yueqin

Postar um comentário