Cover Girl com Queen Latifah


Olá, pessoal! Tudo bem? Hoje trouxe uma novidade - pena que não seja brasileira- mas que ajuda em nossa reflexão sobre a realidade que nos cerca. Como costumo dizer e obsersar : " Nada melhor do que se ver nos produtos que desejamos comprar". É chato tentarmos comprar sabonetes, desodorantes, maquiagens e até perfumes onde a presença de negras e negros é rara ou inexistente. Aqui no Brasil isso é muito comum e agora que esta "contra-cultura", digamos, está sendo fragmentada com uma pequena inserção de negros da mídia.

 Já sei. Isso é um assunto chato e tal, mas é importante que tenhamos este olhar, pois é isso que o sistema quer, que fiquemos conformados com esta realidade, porque isso nunca irá mudar. Que nós só servimos para consumidor os produtos fabricados por eles e que são direcionados e pensados para uma maoria branca, cujas especificidades, necessidades e outros são diferentes das mulheres e homens negros.

 Não compreendam minha fala como uma possível apologia apartheid brasileiro, onde negros sejam melhores/piores que brancos e vice-versa. Não é absolutamente nada disso, mas falo de algo real que está aí às portas e no mercado consumidor, para quem quiser ver, enxergar e comprovar. Claro que avançamos muito, mas ainda podemos ir um pouco mais além, pensando igualitáriamente.

 Assim, navegando no blog da adorável Drª Kathleen -  que é negra, médica dermatologista e chefe do 1º Ambulatório em Dermatologia para Pele Negra no Hospital Federal de Bonsucesso, encontrei este post onde a marca americana Cover Girl convidou, nada mais, nada menos que a estonteamente Queen Latifah para ser sua garota-propaganda. Ela é excelente atriz, sem contar em sua beleza que é poderosa e claro é criloura também kkkk.



 Amei os produtos e gostaria de tentar experimentá-los. Aqui é delicado encontrar alguns produtos importados para vender, um deles é a Cover Girl. Quem tiver a oportunidade, por favor, experiemente e, se desejar, deixe um alô aqui nos retornando para saber se vale a pena ou não.



 Beijos no coração e até breve com o próximo post.



                           Se desejarem assistam o vídeo da campanha. Está ótimo!!!
Pin It

6 comentários:

  1. Fernanda, acho que temos que colocar a boca no trombone mesmo e dizer que "OI ESTAMOS AQUI, NÃO ESTÃO VENDO???". Hj temos dinheiro, temos mais instrução, temos acesso a meios de comunicação e somos sim potenciais consumidores que querem se ver em anúncios, usar produtos específicos as nossas necessidades. Muitas marcas pecam por não atingir o público negro, não vou citar nomes, mas são muitas mesmo e aí ficamos peregrinando de marca em marca para achar uma bacana.
    Está na hora de mais essa mudança...

    ResponderExcluir
  2. Sol Ribeiro,

    Verdadeiramente é o que vivemos hoje com relação ao mercado consumidor de cosméticos. Melhorou muito, mas ainda não é o ideal.

    Não conheço no mercado brasileiro ainda uma empresa que consiga criar tom de base e pó compacto para pele bem escura mesmo. Só as importadas ocupam este espaço. E aí? Quem não pode ou não quer comprar faz o quê?

    Beijos e obrigada!

    ResponderExcluir
  3. Geralmente não usa né Fernanda, infelizmente, até postei algo semelhante a este teu comentário em meu blog. Onde moro existem mulheres bem mais escuras que eu e a marca de base que uso não vende a tonalidade ideal para elas aqui no Brasil.
    Isso é muito injusto existem muitas marcas nacionais que não tem nem pra mim que dê certo e ficamos de fora né?

    ResponderExcluir
  4. Olá Fernandahh!!Amei conhecer o blog da dra Kathleen!!Muito bom!!!Obrigada pela dica!!!Há uns anos atras soube de uma marca paulista que fabricava cosméticos para pele negra,chamava-se"cravo & canela(era de São paulo).Acho que não existe mais(seu anuncio sempre estava nas páginas da revista Raça Brasil)Vc lembra?Bj!!

    ResponderExcluir
  5. Fernandah

    Vc está coberta de razão. Esse não é um assunto chato. Tem de ser debatido mesmo, até mesmo nesse espaço, pois a ausência de negros na mídia em um país cuja população negra é alta é algo q no mínimo chama atenção e merece reflexão. Pensava nisso outro dia enquanto assistia um programa americano pela tv a cabo , a julgar pela quantidade de atores negros nesse programa, parece q tem mais negro nos E.U.A do que aqui no Brasil, e na verdade nos Estado Unidos a população negra não chega nem a 20% da população total.

    ResponderExcluir
  6. deixei um selinho pra você no meu BLOG, Corre lá e pega! http://migre.me/4k1k4

    Beijos, pollyanna
    http://pollyannamaverick.blogspot.com/

    ResponderExcluir